A NOSSA ÁGUA

 

Recursos naturais podem ser definidos como os recursos que encontramos na natureza, tais como, ar, água, solo, animais e vegetais. A Lei 6.938/81, art.3º, item V, define como” recursos ambientais a atmosfera, as águas interiores, superficiais e subterrâneas, os estuários, o mar territorial, o solo, o subsolo, os elementos da biosfera, a fauna e a flora”. Deste modo os recursos naturais ou ambientais são elementos do meio ambiente que interagem entre si possibilitando e dando continuidade à vida no planeta que podem vir a ser explorados economicamente. O uso desordenado destes recursos é o grande problema, pois estamos exaurindo e destruindo a possibilidade de recuperação da natureza.

 

Fonte: http://www.agua.bio.br/botao_e_H.htm 

 

A água é uma substância formada por dois elementos: o hidrogênio e o oxigênio. A quantidade de hidrogênio é o dobro da quantidade de oxigênio.
Em uma mistura, a substância capaz de dissolver outra é chamada de solvente.
A água, por dissolver muitas substâncias recebeu a denominação de "solvente universal".
Em contínua renovação a água apresenta-se na natureza, desta forma a quantidade de água na Terra será sempre a mesma, o problema é com a água adequada para o consumo, que a cada dia vem sendo desperdiçada e poluída. As atividades humanas são fontes poluidoras das águas, tanto as superficiais quanto as subterrâneas, uma vez que a água esta ligada direta ou indiretamente a todas as atividades realizadas pelo homem.

Considerando neste aspecto, a água é um elemento de ligação entre os demais elementos componentes do meio ambiente, possibilitando a existência da vida. Qualquer degradação no ambiente causará desequilíbrios nos cursos d’ água, trazendo conseqüências na disponibilidade e demanda e no equilíbrio dos ecossistemas. Embora a água seja cíclica e assim renovável, ela se torna também algo limitado, uma vez que a disponibilidade de água doce no mundo é muito pequena. 

 

A circulação contínua da água é conhecida como ciclo hidrológico. Com a energia emanada do Sol a água dos rios, lagos, oceanos, mares e vegetais evapora para a atmosfera, devido às baixas temperaturas condensa-se e precipita-se em forma de chuva ou de neve. A chuva cai na natureza, parte é absorvida pelos vegetais antes mesmo de atingir o solo, porém maior parte da água da chuva cai nos oceanos, outra parte cai na superfície terrestre escoando para alimentar rios e lagos, ou suja as águas da superfície. Ainda tem uma parcela desta água que infiltra no solo formando lençóis freáticos, estes por sua vez irão alimentar rios, lagos, oceanos e mares, dando início a um novo ciclo.  Através da fonte de energia emanada pelo Sol a água faz seu percurso na natureza da evaporação à precipitação, sendo presente em todos os elementos naturais.

 

Fonte: http://www.agua.bio.br/botao_e_H.htm 

 

Vamos saber mais sobre o ciclo hidrológico?

www.educarede.org.br/educa/oassuntoe/index.cf

www.tvcultura.com.br/aloescola/infantis/chuachuagua/ciclo.

www.geocities.com/~esabio/agua/agua2

www.cetesb.sp.gov.br/Agua/rios/ciclo.

www.mundodaagua.com/htmlad/ciclo

 

 

A sobrevivência do homem depende da existência dos fatores abióticos (água, solo, ar), no que tange, a produção de alimentos, consumo, produção de bens, na construção de cidades, etc... Quando estes fatores são alterados, o homem é afetado mesmo que indiretamente, ou até de forma inconsciente, sofrendo modificações. Salientamos a importância dos impactos causados na água e no solo pela interação, e utilização constante destes recursos pela espécie humana, dando ênfase à disposição do lixo produzido nas cidades, ou seja, ao lixo urbano. Uma vez que, o constante lançamento dos resíduos de maneira aleatório tem gerado um grande transtorno para o meio ambiente, pois provocam a poluição do solo, da água e ar. Além dos resíduos, a migração do chorume no solo e na água, pode contaminar por compostos orgânicos e íons metálicos.

Assim, gestão integrada dos recursos água, solo e vegetação possibilitam a visão real dos impactos causados pela ação antrópica, e viabiliza a escolha de medidas mais adequadas de remediação.

Na Rio + 10, dentre as maiores preocupações da ONU, a questão da água preponderou. De acordo com relatório das Nações Unidas que previu um futuro seco para o mundo, e esta escassez afetará a qualidade de vida da população mundial. Não obstante, o relatório da ONU alerta:

 

ü      Dois bilhões de pessoas (um terço da população mundial) já enfrentam escassez de água;

ü      Quatro bilhões de pessoas estarão nessa situação em 2025 (metade da população mundial);

ü      O consumo de água cresceu seis vezes nos últimos 100 anos, duas vezes mais rápido que a população;

ü      70% da água consumida através da irrigação agrícola;

ü      2,5 bilhões de pessoas estão sem saneamento básico;

ü      Um bilhão de pessoas não tem acesso à água tratada;

ü      2,2 milhões de pessoas morrem a cada ano de doenças causadas por água contaminada.

 

Podemos constatar que o homem é componente do meio ambiente e ao modifica-lo, afetará a si próprio. Assim pela premência do homem como modificador da natureza, os impactos ambientais englobam fatores sociais, políticos, econômicos e culturais, que devem ser considerados e inseridos nas questões ambientais, para soluções sócio-ambientais coerentes com a realidade humana, principalmente em países como o Brasil possuidor de imensa natureza, mas igualmente possuidor de problemas sociais como a fome e a pobreza.

60% do Corpo Humano é Água

Fonte: http://www.agua.bio.br/botao_e_H.htm 

 

 Assim como a água irriga e alimenta a Terra, que tem 77% de sua superfície formada por água; o sangue irriga e alimenta nosso corpo que é constituído também por 77% de água.  

Toda água que tomamos não fica parada em nosso organismo, ela está sempre em constante movimento; um adulto pode trocar de 5% a 10% da água consumida por dia. Perdemos água no controle da temperatura do corpo quando suamos e no metabolismo da própria respiração; a quantidade depende da temperatura ambiente e da intensidade de exercícios físicos que fazemos. Podemos eliminar de 1,0 a 20 litros de urina por dia, esse controle é feito pelos rins e aparelho urinário.   

 

Diariamente um adulto perde cerca de 1,5 litro de água, ou seja: por meio da urina - 1 litro; da transpiração - 200 ml; da respiração - 100 ml e da evacuação - 200 a 300 ml. Para suprir essa falta e manter o bom funcionamento orgânico, o mecanismo da sede é acionado. 

                                                            

                                                                 Fonte: http://www.agua.bio.br/botao_e_H.htm 

 

 

Tipos de água

Água Destilada: é aquela que contém unicamente os elementos oxigênio e hidrogênio. Pode ser produzida em laboratório, ou na natureza, logo quando se forma a chuva. Ela não é própria para beber, pois não possui os sais minerais necessários para nosso organismo.

- Águas Minerais: é aquela que durante o percurso, dissolvem e carregam, principalmente, uma grande variedade de sais minerais. Por este motivo, começam a apresentar cheiros, cores e gostos, que caracterizam os vários tipos de águas minerais. Observe:
SALOMBRA - é levemente salgada e não forma espuma com o sabão.
TERMAL - possui uma temperatura elevada, como a dos gêiseres, além de apresentar alguns minerais dissolvidos. Serve para o tratamento de pele.
ACÍDULA - chamada também de água gasosa por conter uma substância chamada gás carbônico. Possui um sabor meio ácido e é boa para a digestão.
MAGNESIANA - neste tipo de água, predominam sais de magnésio dissolvidos. Ajuda no funcionamento do estômago e intestinos.
ALCALINA - combate a acidez do estômago, por possuir uma substância denominada bicarbonato de sódio, que é um antiácido estomacal.
SULFUROSA - contém substâncias a base de enxofre. É boa para a pele e doenças respiratórias.
FERRUGINOSA - possui sais de ferro e ajuda no combate à anemia.

- Água Potável: a água potável não tem cor (incolor), nem cheiro (inodora); é fresca, ou seja, sua temperatura é agradável e livre de impurezas, como sujeira, microorganismos e restos de animais ou vegetais mortos. Deve conter também uma pequena quantidade de sais minerais e ar, ou melhor, ter oxigênio nela dissolvido.
Assim, a água potável não transmite doenças, é boa para beber e até possui um gosto característico, devido à presença de minerais que são essenciais para o equilíbrio hídrico do organismo.

- Água Poluída: a água poluída é aquela que perdeu suas características naturais, devido à presença de substâncias tóxicas, detritos ou agentes causadores de doenças. Pode possuir cores variadas e mau cheiro. Muitas vezes a água pode aparentemente estar limpa e ao mesmo tempo conter microorganismos causadores de doenças, no caso das águas contaminadas, que é um tipo especial de água poluída. Este tipo de água não deve ser utilizado para o consumo ou mesmo para regar uma horta, pois pode ser prejudicial à saúde dos seres vivos.

- Água doce: é aquela dos rios, lagos e fontes, os quais possuem uma quantidade de sais bem menor que a dos mares. Este tipo de água pode servir para banhos, lavar alimentos e roupas, cozinhar e, desde que se tomem certos cuidades para saber-se que não está contaminada, serve também para beber.

- Água salgada: é aquela que possui uma grande quantidade de sais dissolvidos, como a água dos mares. A predominância de um sal, em especial o cloreto de sódio, conhecido vulgarmente como sal de cozinha, é que lhe dá esta característica. A água salgada não serve para o consumo, mas serve como uma fonte importantíssima de sal que usamos na alimentação.

Fonte: http://www.agua.bio.br/botao_e_H.htm 

Dicas para economizar Água

 

ü      Um banho de ducha de quinze minutos consome 240 litros de água. Fechar a torneira enquanto se ensaboa, diminuindo o tempo de banho para cinco minutos, reduz o gasto para 80 litros.

ü      Escovar os dentes durante cinco minutos com a torneira aberta provoca um gasto de 80 litros. Molhar a escova, fechar a torneira e enxaguar a boca com um copo de água consome 1 litro.

ü      Para lavar a louça na pia com a torneira aberta, durante quinze minutos, gastam-se 240 litros. Limpar os restos dos pratos com uma escova, usar a água retida na cuba para ensaboar a louça e abrir a torneira só na hora do enxágüe gera uma economia de 220 litros.

ü      Esqueça a mangueira na hora de lavar a calçada. Água, só depois de varrer bem as folhas e a sujeira.   

ü      Use as lavadoras de louça e de roupa apenas quando estiverem cheias.  

ü      Atenção aos pequenos vazamentos. Aquelas gotas que insistem em pingar da torneira da cozinha significam um gasto extra de 46 litros por dia. As torneiras devem ser fechadas por completo depois do uso e consertadas se apresentarem qualquer defeito.

 Com uma mangueira semi-aberta, gastam-se 560 litros para lavar o carro. Se o serviço for feito com um balde, o consumo é de 40 litros

Como o lixo pode poluir a água?                               

 

O lixo ao degradar-se produz, além de gases que poluem o ar, o chorume que infiltra no solo, podendo atingir a água subterrânea e provocar contaminação. A velocidade na infiltração do chorume vai depender da porosidade do solo, que funciona como uma esponja absorvendo substâncias líquidas, como a água e o chorume, dependendo do tamanho dos poros, permitindo uma maior ou menor infiltração. A vulnerabilidade de um aqüífero à poluição significa sua maior ou menor susceptibilidade de ser afetado por uma carga contaminante imposta.

 

Este agente impactante atinge o solo e a água, sofrendo ainda reações químicas e bioquímicas no seu processo de degradação, com o objetivo de atingir a estabilização, alterando a funcionalidade destes recursos provocando poluição e/ou contaminação. As proporções do impacto aumentam quando a população utiliza estes recursos próximos aos depósitos de lixo, principalmente para consumo e produção de alimentos. Quando isto ocorre à saúde da população é bastante afetada, deste modo devem ser ponderadas, ainda, a escala e magnitude do episódio de poluição, assim como a essencialidade do recurso hídrico afetado.

 

Por causa do chorume ser um líquido resultante da degradação de vários materiais, podemos encontrar nele um mosaico de agentes impactantes que afetem a qualidade da água e conseqüentemente a população. O homem que vive em contato direto e freqüente com o lixo fica constantemente exposto aos agentes patogênicos, aumentando as possibilidades de contrair doenças, como diarréias, verminoses, hepatite, dentre outras.     

 

Porém, mesmo as pessoas que vivem distantes dos resíduos podem ser contaminadas, porque o solo e principalmente a água, servem como veículo de disseminação dos micróbios. Quando o lixo é exposto a céu aberto, a chuva leva a sujeira para os córregos e rios, espalhando estes seres por uma grande extensão e ao mesmo tempo o chorume carrega os germes pelo subsolo contaminando a água subterrânea, que por sua vez pode ser utilizada pela população através de poços domésticos. A água subterrânea também alimenta os rios, o que também pode expandir a contaminação.

 

A problemática da disposição do lixo urbano deve ter nos planos das cidades bastante relevância, pois observamos que a população vem crescendo, exigindo mais espaços e aumentando a quantidade de dejetos, que geralmente são lançados de maneira aleatória. Mesmo com a utilização da tecnologia de aterros, os recursos naturais têm que ser monitorados para evitar a contaminação. Já sabemos que a água e o solo são veículos de germes patogênicos que transmitem doenças e com o lixo sem o devido tratamento desde a coleta até a disposição final, a população será atingida por várias doenças.   

 

 

 

Terra  és o mais bonito dos planetas

Tão te maltratando por dinheiro

Tu que és a nave nossa irmã

Canta,

Leva a sua vida em harmonia

E nos alimenta com seus frutos

Tu que és do homem a maça

Vamos precisar de todo mundo

UM MAIS UM É SEMPRE MAIS QUE DOIS

Pra melhor juntar as nossas forças

È só repartir melhor o pão

Recriar o paraíso agora

Para merecer quem vem depois

( Beto Guedes/Ronaldo Bastos)

 

Quer saber mais sobre lixo?

http://www.lixo.com.br/home.html

http://paginas.terra.com.br/lazer/staruck/lixo.htm

http://www.planetaorganico.com.br/meiolixo1.htm

http://www.integracao.gov.br/lixo_no_lixo/tela_05.html

http://www.educarede.org.br/educa/oassuntoe/index.cfm?pagina=interna&id_tema=6&id_subtema=3

 

 

Núcleo de Tecnologia Educacional – NTE 2

Curso de Mídias Digitais

Turma lilás

Orientadora: Jocenildes

Professora Cursista: Cristiane Santos de Jesus
Mas do que falar em educação ambiental, é preciso ações que modifiquem o atual quadro de degradação ambiental, assim nada melhor do que começar com os estudantes. Na escola que trabalho foi realizado um projeto sobre o Meio Ambiente chamado "Recicla Filadélfia", onde nossa comunidade discente apresentou seus trabalhos com materiais recicláveis. Roupas confeccionadas com sacos plásticos, tampinhas, etc..., apresentação de grupos de teatro valorizando a importância do meio ambiente dentre outros. Foi muito gratificante e a educação sócio-ambiental esta ganhado corpo através de nós professores, com estas ações nas escola. Ainda é pouco mais calcançaremos nosso objetivo  

Esta é a turma mais nova de blogueiros, vamos arrasar 

Educação Ambiental

As diretrizes expressas na Política Nacional de Educação Ambiental (EA) definida pela Lei Federal nº 9795, de 27 de abril de 1999, trazem orientações quanto aos princípios, aos objetivos, às linhas de atuação e às estratégias de implementação da EA. É reconhecida como um instrumento pelo qual "o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à qualidade de vida e sua sustentabilidade".

Um dos principais objetivos da EA consiste em contribuir para a compreensão da complexidade do ambiente em suas dimensões ecológicas, econômicas, sociais, culturais, políticas, éticas e tecnológicas, de maneira a sensibilizar a coletividade quanto a importância de sua organização e participação na defesa de todas as formas de vida. Pretende-se, assim, incentivar a mobilização dos cidadãos a partir do reconhecimento das causas e das conseqüências dos impactos socioambientais que afligem o planeta, buscando satisfazer as necessidades fundamentais da humanidade ao mesmo tempo em que são respeitados os direitos das gerações futuras terem acesso a um ambiente saudável.

O Meio Ambiente pode ser considerado como tudo que está em nossa volta. Os animais, os vegetais, os peixes, o solo, a água, o ar, as rochas, o homem, etc... Considerar o homem como parte integrante deste meio é muito importante, devido a ação que ele exerce sobre os outros elementos. Sabemos que a ação antrópica vem provocando grandes desastres ecológicos, mas o homem precisa compreender que ao atingir qualquer elemento da natureza ele irá consequentemente ser afetado. Assim há necessidade da implantação da educação ambiental para convivermos em harmonia com a natureza.

[ ver mensagens anteriores ]
Visitante número: